As doenças ocupacionais são aquelas causadas pelo trabalho ou pelas condições a que o trabalhador está exposto durante a sua jornada, englobando as doenças profissionais e as doenças do trabalho. Você sabe a diferença entre elas?

Enquanto as profissionais são causadas pela realização de atividades de determinada profissão ou categoria profissional, a doença do trabalho não é tão específica, sendo desencadeada pelas condições do ambiente onde o ofício é realizado.

Esse é um assunto extremamente importante para os trabalhadores, principalmente porque essas doenças são consideradas acidentes de trabalho. Por isso, preparamos este post explicando quais são as mais comuns. Confira!

1. Depressão

A depressão é uma doença mental que afeta o psicológico do trabalhador, apresentando determinados sintomas, como:

  • tristeza persistente;
  • falta ou excesso de apetite;
  • insônia;
  • desânimo, cansaço e indisposição;
  • falta de concentração;
  • ausência de prazer nas atividades do dia a dia.

Ela envolve sintomas psicológicos e físicos, prejudicando o desempenho do empregado e também trazendo problemas à sua vida pessoal. Em casos mais graves, gera pensamentos suicidas. No trabalho, as principais causas são:

  • exigência de metas abusivas;
  • assédio moral;
  • jornadas longas de trabalho;
  • pressão e excesso de cobranças.

Nesse caso, a empresa precisa trabalhar o clima organizacional e rever as políticas internas sobre o estabelecimento de metas, cobranças e demais atitudes em relação aos empregados. É importante destacar que, além da depressão, também existem outros transtornos mentais comuns, como estresse e ansiedade.

2. Lesão por Esforço Repetitivo (LER)

A LER é desenvolvida pelo exercício prolongado e repetitivo de um movimento, porém, como a sua progressão é lenta, em geral, ela é identificada somente em estágios mais avançados, prejudicando o trabalhador.

Para prevenir, é importante fazer pausas para descanso nas atividades repetitivas e investir em ginástica laboral — pequenas séries de exercícios que ajudam a fortalecer os músculos e evitar lesões. A empresa também deve investir na ergonomia do ambiente de trabalho para evitar posições e posturas inadequadas, que podem auxiliar no desenvolvimento do problema.

3. Perda de audição

A surdez temporária ou definitiva é causada pela exposição do trabalhador a ruídos constantes. Com o tempo, ele começa a perder a sensibilidade auditiva e, em alguns casos, o problema é irreversível, causando a perda da audição.

A prevenção acontece por meio de ações de proteção coletiva, visando a reduzir os ruídos com o isolamento das fontes, além do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) pelos trabalhadores, como protetores auriculares e abafadores de ruído.

4. Asma ocupacional

Esse é um problema causado pela inalação de agentes tóxicos que podem causar alergias no trabalhador. A asma causa a obstrução das vias aéreas por causa de poeiras de substâncias, como borracha, madeira, algodão, entre outras. Ou seja, ela também costuma estar relacionada à insalubridade do ambiente de trabalho.

Aqui, os EPIs são fundamentais para prevenir essas ocorrências, além de outras medidas que visem a reduzir a exposição do empregado aos agentes tóxicos. Entretanto, caso a doença se desenvolva, o tratamento geralmente exige o afastamento do trabalhador de qualquer função em que ocorra o contato com as substâncias que causam obstrução das vias respiratórias.

Desse modo, a prevenção de doenças pela empresa deve ser feita com a aplicação de medidas de conscientização dos empregados e com o investimento no uso de EPIs, ginástica laboral e treinamentos. Além disso, os móveis e equipamentos devem seguir as regras de ergonomia, para proporcionarem mais conforto e evitarem lesões nos trabalhadores.

Pronto! Agora que você já sabe quais são as principais doenças ocupacionais, invista em medidas para evitar esses problemas e manter-se saudável. Porém, caso desenvolva algum problema de saúde relacionado ao trabalho, consulte um profissional para verificar quais são os seus direitos.

Gostou deste post? Então, siga-nos nas redes sociais e confira as próximas publicações! Estamos no Facebook e no Instagram!