Saber se o nome sujo impede de arrumar emprego é uma preocupação bastante comum das pessoas com dificuldades financeiras. Afinal de contas, com tanta competitividade pelas oportunidades existentes, é natural pensar que o mínimo detalhe possa prejudicar a contratação.

Um dado importante é que a questão afeta inúmeros trabalhadores. Em 2019, por exemplo, o número de pessoas negativadas chegou a 63,2 milhões de brasileiros. Logo, é um verdadeiro problema social, que afeta boa parte da população.

Para entender as regras sobre contratação com o nome sujo, continue lendo. Ao longo do texto, explicamos quando é proibido e quando é permitido ao recrutador adotar esse tipo de critério!

Entenda os casos em que é proibido

A regra é que os recrutadores não devem usar a consulta nos órgãos de crédito, como SPC Brasil, Serasa e Boa Vista SCPC, para avaliar a contratação de um candidato. E, em geral, os juízes trabalhistas são bastante rígidos nesse controle, pois sem a possibilidade de buscar emprego, não há como pagar as dívidas.

Você encontrará dois apoios legais para proibição da consulta. O primeiro é a proteção da intimidade: o uso da consulta aos negativados é uma exceção e não pode ser autorizada fora da finalidade de análise de crédito, do contrário há um constrangimento à pessoa. A segunda é o impedimento de qualquer ato discriminatório durante o recrutamento de pessoas, conforme previsto na lei 9.029/95.

Descubra quando o nome sujo impede de arrumar emprego

A exceção é a contratação por instituições financeiras. Por exemplo, um vigilante com o nome negativado não pode ser impedido de trabalhar para uma rede de supermercados, mas pode para um banco ou empresa de crédito.

A autorização existe porque, entre as políticas de prevenção definidas pelo Banco Central do Brasil, especialmente a de lavagem de dinheiro, existe a previsão de avaliação de risco dos funcionários, parceiros e fornecedores. Logo, diante de vários candidatos, o nome sujo impede de arrumar emprego por piorar esse requisito.

Conheça os passos em caso de discriminação

Se você perder uma vaga por causa da discriminação indevida, os passos mais importantes são coletar provas e procurar um advogado. Assim, você pode ser ressarcido na justiça com base no chamado dano moral.

A coleta de provas ocorre com base nos documentos usados durante o processo seletivo, como troca de e-mail e anúncio de vaga, bem como com testemunhas de que a negativação foi o critério utilizado.

Já a consulta ao profissional deve priorizar quem é especialista na área trabalhista. O advogado será fundamental na obtenção das provas e na definição da melhor estratégia no processo trabalhista. Afinal, as duas coisas exigem bastante experiência e um olhar aprofundado sobre o caso.

Sendo assim, agora que você já sabe que o nome sujo não impede de arrumar emprego na maioria dos casos, não deixe de tomar as providências para garantir os seus direitos.

Para ajudar pessoas com as mesmas dificuldades, compartilhe o texto nas redes sociais e faça com seus seguidores conheçam a legislação!

Powered by Rock Convert